Qui, 06 de outubro de 2022

Discurso do professor Ayrton C. Moreira ao receber o título de Doutor Honoris Causa da UFS
Ayrton Custódio Moreira
É com muita honra que recebo o Título de Doutor Honoris Causa conferido pelo Conselho Universitário da Universidade Federal de Sergipe, por minha trajetória acadêmica e pela contribuição na formação de docentes do Departamento de Medicina da UFS, ajudando a transformá-lo em um centro de excelência na área de Endocrinologia.Reconheço o destaque da Universidade Federal de Sergipe no cenário nacional.Neste momento festivo,lembro com gratidão a importância das pessoas e das instituições na minha vida.Uma longa carreira não se faz sozinho.Nesta minha viagem na busca do Conhecimento... +Informações
Discurso na cerimônia de entrega da Medalha de Incentivo à Ciência e Tecnologia Professor Antônio Tavares de Bragança
Lucindo Quintans
Hoje, é um dia muito especial para ciência do estado de Sergipe. Dia de comemoração, honraria, mas também de reflexão.A histórica cientista, MARIE CURIE, primeira mulher a ser laureada com o Prêmio Nobel e a única a ganhá-lo por duas vezes (em áreas distintas, diga-se de passagem: física e química), dizia que “O caminho para o progresso não é rápido nem fácil”.Logo ela, que deixou sua marca indelével sobre a radioatividade (termo que ela mesma cunhou), trazendo avanços inquestionáveis para saúde, na indústria, entre outras áreas, faleceu por anemia aplástica, à qual foi relacionada... +Informações
Discurso na cerimônia de entrega do acervo Paulo Almeida Machado
Carlos Augusto Alcântara Machado
A história do nosso pai, avô, sogro, PAULO ALMEIDA MACHADO, se confunde com a história do nascimento da Universidade Federal de Sergipe, creio que posso assim dizer.Digo isso porque antes mesmo da sua instituição como Universidade, oficialmente em 11 de maio de 1968, Paulo Machado já havia ingressado na antiga Faculdade Católica de Filosofia de Sergipe, uma das faculdades absorvidas pela UFS, como Instituto de Letras e Artes, contratado que foi em 01 de fevereiro de 1955, para lecionar as disciplinas Lógica, Português, Linguística, Didática Especial de Latim, Didática de Filosofia e... +Informações
Discurso pela inauguração da TV UFS
Valter Joviniano de Santana Filho
A Comunicação Pública e Educativa na Universidade Federal de Sergipe entra a partir desta data em uma nova fase, com a inauguração da TV UFS. A ideia embrionária de uma TV universitária surgiu há quase 30 anos, na gestão do Reitor Luiz Hermínio de Aguiar Oliveira (1992-1996), que criou o CEAV - Centro Editorial e Audiovisual, “destinado à produção de multimeios para a utilização no processo educativo e na divulgação da produção acadêmica”.Os anos passaram as gestões se sucederam, mas a experiência da Instituição nessa seara veio a ganhar impulso em 2007, com a inauguração da nossa... +Informações
A dignidade do contido: algumas palavras sobre a poesia de Jeová Santana
Luiz Eduardo Oliveira
Como uma sombra  que insiste em aparecer nas cenas e imagens mais solares, ou uma música incidental que alerta o leitor acerca dos recantos mais obscuros de sua poesia, o tema da morte ressurge em Estilhaços (2021) já no segundo poema da primeira parte do livro (“Palavração”), intitulado “Quadrinhazinha”, que busca expressar o aparente absurdo que é encontrar consolo na poesia:Um desejo, uma loucura:Acreditar que um versoHá de consolar os aflitosE tocará a face do eterno.A morte também emerge em momentos melancólicos e saudosistas, como em “Drummonagem”, composição de três versos que... +Informações
Setenta anos da FAFI e o nascimento da formação de docentes no ensino superior em Sergipe: uma necessária reflexão
João Paulo Gama Oliveira
A Faculdade Católica de Filosofia de Sergipe, carinhosamente conhecida como FAFI, começou suas atividades de maneira efetiva após a promulgação do Decreto nº 29.311, de 28 de fevereiro de 1951. Nesse primeiro ano, ofertou os cursos de Geografia e História, como também de Matemática e Filosofia. Em 1952, implantou o curso de Letras Neolatinas e, no ano seguinte, o de Letras Anglo-Germânicas. Mais de uma década depois, introduziu a graduação em Pedagogia.Em 1968, a Faculdade Católica foi incorporada, juntamente com outras faculdades existentes em Sergipe, a saber: Direito, Economia,... +Informações
Democracia e Direitos Humanos: Usos públicos da história
Antônio Fernando de Araújo Sá
“... a história não pode anular ou excluir a política, ou melhor, as tradições não podem expulsar a política da história” (REIS, 2020: p. 5).O uso público da história como um novo campo de estudos trouxe-nos a percepção de que “o conhecimento e as representações do passado são inseparáveis de suas circunstâncias políticas e sociais” (PASAMAR, 2004: p. 15). O fio condutor para o exame do uso da história é o caráter problemático das representações do passado, conforme advertências dos estudiosos da memória. No caso brasileiro, o caráter de pacto e conciliação na transição à democracia,... +Informações
Notas sobre metodologia: entre Kant, Sherlock Holmes e o pesquisador cibercultural (Parte 3)
Geovânia Carvalho
III – Os elementos essenciais de uma pesquisaLer Kant não significa necessariamente filosofar, mas sua leitura nos dirige ao aprendizado de como (método, crítica) é possível filosofar, segundo as razões do autor, incluindo as concordâncias, as refutações e as suspeitas sobre seus antecessores e contemporâneos para analisar, criticamente, o plano geral epistêmico/metodológico e as intenções propostas do pesquisador. Desse modo, os fundamentos e as conclusões do conhecimento criticados são posicionados na condição de réus e conduzidos ao status de provisoriedade, até que novas interpretações... +Informações
Moção de Homenagem à Professora Lucília Garcez
"Amiga inseparável da literatura e da pesquisa"
Lucília Helena do Carmo Garcez, mais conhecida como Lucília Garcez, concluiu sua graduação no Departamento de Letras da Universidade Federal de Sergipe. Pouco depois de sua formatura, iniciou os trabalhos como professora desse mesmo Departamento de onde provinha. No pouco tempo que conviveu com os colegas, marcou seu lugar de pessoa amiga, de fácil convivência. Sempre solícita e disponível, não media esforço para apoiar o Departamento na distribuição das disciplinas. Amiga inseparável da literatura e da pesquisa, dividiu sua vida entre o ensino e a produção literária mais diretamente... +Informações
Notas sobre metodologia: entre Kant, Sherlock Holmes e o pesquisador cibercultural (Parte 2)
Geovânia Carvalho
II - A paciência: uma virtude e um recuso metodológicoLer Kant exige o exercício da paciência - recomendação hegeliana sobre o ato da leitura para a compreensão de um determinado tema e seu conceito. Afinal, filosofia é o exercício da reflexão, buscando a elaboração e a interpretação dos conceitos, suas relações coexistentes, suas dinamicidades, inflexões e flexões, suas possiblidades de existência e sobrevivência na posteridade. Sem a paciência, o texto perde a força, a beleza e a profundidade; é diluída a presença do pensamento reflexivo. Ela é o primeiro requisito para a leitura e a... +Informações