Ter, 26 de novembro de 2019, 14:02

Experiências do projeto 'Química Explica' são apresentadas em escola pública
Iniciativa ocorreu no Centro de Excelência Maria Ivanda
Benefícios da cromoterapia, liberação de Gases, o processo de identificação dos carboidratos e a fermentação de alimentos foram as pesquisas trabalhadas no Maria Ivanda (Fotos: Eugênio Barreto/Seduc)
Benefícios da cromoterapia, liberação de Gases, o processo de identificação dos carboidratos e a fermentação de alimentos foram as pesquisas trabalhadas no Maria Ivanda (Fotos: Eugênio Barreto/Seduc)

Os alunos do Centro de Excelência Professora Maria Ivanda de Carvalho Nascimento, unidade localizada no bairro 18 do Forte, em Aracaju, que oferta o Ensino Médio em Tempo Integral, receberam nesta segunda-feira, 25, o projeto Química Explica, iniciativa do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid), da Universidade Federal de Sergipe (UFS), que visa inserir licenciados, supervisores das escolas e coordenadores de área no contexto dialógico com as tecnologias da comunicação e da informação, na perspectiva de formação dos acadêmicos, futuros professores.

Além do Maria Ivanda, outras duas escolas estaduais fazem parte dessa rede de experiências científicas a partir da Química, como o Centro de Excelência Dom Luciano, em Aracaju, e o Colégio Estadual Professora Glorita Portugal, em São Cristóvão.

A professora Elizabete Lustosa Costa, coordenadora das três escolas-campo, explica que o trabalho desenvolvido pelos bolsistas do Pibid foi balizado nos aspectos nos quais cada comunidade está inserida. "São temas de interesse da escola. Essas temáticas são trabalhadas com estudantes em sala de aula".


O projeto também passará pelo Centro de Excelência Dom Luciano, em Aracaju, e o Colégio Estadual Glorita Portugal, em São Cristóvão
O projeto também passará pelo Centro de Excelência Dom Luciano, em Aracaju, e o Colégio Estadual Glorita Portugal, em São Cristóvão

Benefícios da cromoterapia, liberação de Gases, o processo de identificação dos carboidratos e a fermentação de alimentos foram as pesquisas trabalhadas no Maria Ivanda. A supervisora do projeto, professora Aldirene Pinheiro, conta que a escola optou por trabalhar com a alimentação por conta da relação dos alunos com a horta. "É a partir daí que eles começam a trabalhar a química na prática, trazendo uma realidade que é presente no seu espaço escolar aliado ao processo científico".

Estudante do 6º período do curso de licenciatura em Química, Carla Andreza Batista avaliou a vivência com os estudantes da educação básica como uma fase importante para a sua formação acadêmica. "A gente precisa dessas vivências para nos tornarmos profissionais mais preparados. Foi uma experiência extremamente enriquecedora". Juntamente com os alunos, ela desenvolveu uma pesquisa que mostra a reação dos carboidratos no organismo.

Larissa Alves do Santos, aluna do 1º ano que acompanhou a exposição dos trabalhos, frisou que os resultados são estimulantes. Ela ainda reforçou que alguns projetos são importantes porque mostram situações que estão presentes no nosso dia a dia, mas não recebem a devida atenção.


Quimica 3

Segundo a gestora da unidade, professora Adriana Hora, a parceria com a UFS, a partir dos programas de fomento à ciência na escola, tem engrandecido o processo de aprendizado dos estudantes, estimulado a participação em projetos científicos. Ela ainda enfatizou que o ensino médio em tempo integral tem sua contribuição para esse engajamento com o envolvimento nas eletivas e clubes de protagonismo.

Dom Luciano e Glorita Portugal

O projeto de iniciação à docência chega também ao Centro de Excelência Dom Luciano, nesta quarta-feira, 27. Os trabalhos serão expostos em estantes montados na praça Tobias Barreto, bairro São José.

No Colégio Estadual Professora Gloria Portugal, unidade localizada no conjunto Rosa Elze, em São Cristóvão, o Química Explica será apresentado na quadra de esportes.

Leonardo Tomaz

Seduc


Atualizado em: Ter, 26 de novembro de 2019, 14:26
Notícias UFS