Sex, 15 de maio de 2020, 07:44

E lá se vão 52 anos...
Angelo Roberto Antoniolli

Através da Lei n. 1.194 de 11 de julho de 1963, o Governo do Estado de Sergipe, autorizou a transferência dos Estabelecimentos de Ensino Superior pertencentes ao Estado para a Fundação Universidade Federal de Sergipe, ora em organização pelo Governo Federal. Quatro anos depois, foi instituída a Fundação Universidade Federal de Sergipe, em 28 de fevereiro de 1967, pelo Decreto-Lei n. 269 e, enfim, instalada em 15 de maio de 1968, com a incorporação de 06 Escolas Superiores ou Faculdades que ministravam 10 cursos administrados por 05 Faculdades e 05 Institutos.

Para trás, ficou o conturbado ano de 1968, o ano que, segundo Zuenir Ventura, não terminou, como é o título de um de seus livros, aliás, contundente, profundo, verdadeiro. Mas, num ano difícil para a democracia brasileira, o ano do famigerado AI-5, foi também para os sergipanos o ano de uma conquista excepcional: a instalação da Universidade Federal de Sergipe, a nossa querida UFS.

ASSISTA: UFS 52 Anos | Mensagem do reitor e vice-reitor


Arte: Rafael Jesus/bolsista Ascom UFS
Arte: Rafael Jesus/bolsista Ascom UFS

Cinquenta e dois anos em que, no seu decurso, nessas cinco décadas e um pouquinho, a UFS foi se firmando, crescendo, saltando da junção de faculdades públicas e confessionais, para a efetivação de seis Campi (São Cristóvão, o Campus-sede; Aracaju, o Campus da Saúde, que tem como anexo o Hospital Universitário; Laranjeiras, Itabaiana, Lagarto e Sertão, provisoriamente instalado na zona urbana de Nossa Senhora da Glória, mas que, em breve, estará na fazenda de propriedade da EMBRAPA, que foi cedida à Universidade Federal de Sergipe, para esse fim, entre os municípios de Glória e Feira Nova).

Não é possível conceber o estado de Sergipe, desde o fim da década de 1960, sem a UFS. A nossa instituição de ensino superior, única Universidade pública situada em terras sergipanas, ajudou, e muito, a alavancar o progresso e o desenvolvimento do estado, contribuindo para a sua modernização intelectual e tecnológica.

Uma caminhada de 52 anos, cujos feitos são creditados a todos aqueles e aquelas que por aqui passaram e pelos (as) que estão firmes no desempenho de suas atividades docentes ou técnico-administrativas.

No momento, a UFS conta com 113 opções de cursos de graduação, 48 mestrados acadêmicos, 12 mestrados profissionais e 19 doutorados acadêmicos. Abarca 2.687 alunos nos cursos de pós-graduação. E acolhe 28.635 alunos na graduação, sendo 27.354 na modalidade presencial e 1.281 na modalidade EaD.

O seu quadro de pessoal é composto por 1.523 docentes efetivos, no nível superior, e 43 no Colégio de Aplicação (CODAP). O corpo administrativo é composto por 1.442 técnicos.

A Universidade Federal de Sergipe cresceu paulatinamente. Os Campi foram sendo instalados, os cursos foram se multiplicando e os resultados para a sociedade sergipana foram e continuam sendo cada vez mais implementados, favorecendo, assim, os mais distintos setores da vida social, cultural e econômica do nosso estado.

Na gestão atual, compreendendo dois mandatos, foram investidos R$ 270.914.801,28 (duzentos e setenta milhões, novecentos e quatorze mil, oitocentos e um reais e vinte e oito centavos), em obras, equipamentos e instalações, que mudaram a face da Universidade em todos os seus Campi.

Cumprimentando todos e todas que fazem parte dessa história, dessa trajetória edificante, mas, também, cumprimentando a sociedade sergipana, mantemos acesa a esperança, e, mais do que isso, a convicção de que a Universidade Federal de Sergipe saberá vencer todos os obstáculos que, por ventura, venha a enfrentar, consolidando-se como bastião da educação, no seu tripé constitucional, qual seja, o ensino, a extensão e a pesquisa, e, também, como um locus da luta pelas liberdades democráticas.

Uma instituição de ensino superior deve lutar sempre para ver concretizados os seus objetivos constitucionais, legais e estatutários. Servir à sociedade, acolhendo, preparando e bem formando os seus filhos, eis a sua diretriz, que se materializa em metas e ações.

A caminhada de 52 anos da Universidade Federal de Sergipe mostra-nos, ao longo desse lapso de tempo e de suas atividades, que o respeito à democracia e à dignidade da pessoa humana são princípios que jamais deverão ser esquecidos. Nesse sentido, os autoritarismos batem às suas portas, podem até forçá-las, mas nela não haverão de encontrar guarida.

Obrigado e parabéns a todos e a todas que por aqui passaram. Obrigado e parabéns a todos e a todas que continuam a levar adiante a caminhada exitosa da nossa UFS.

Angelo Roberto Antoniolli é reitor da Universidade Federal de Sergipe.


Atualizado em: Sex, 15 de maio de 2020, 14:51

Notícias Relacionadas
Notícias UFS